KPI e OKR: conheça as ferramentas que podem ajudar sua empresa ir além

KPI e OKR: conheça as ferramentas que podem ajudar sua empresa ir além

Todo começo de ano pegamos papel e caneta e começamos a refletir: o que quero fazer nos próximos meses? Até o final do ano, quais metas espero alcançar?

E na sua empresa, você já pensou em quais metas e resultados espera alcançar? São elas que vão indicar para os seus colaboradores onde você espera chegar com a equipe e como cada pessoa deve contribuir. Mas como definir essas metas?

Com a maior complexidade
das organizações, da relação com o próprio mercado e com o público, surgiram ferramentas
de gestão como os KPIs e os OKRs para ajudar a definir e acompanhar os
indicadores de sucesso de um negócio.

Continue lendo para saber mais sobre essas duas ferramentas e a importância delas para que o negócio alcance os melhores resultados possíveis.

O que significa KPI e OKR?

O KPI (Key Performance Indicator ou, traduzindo, Indicador Chave de Performance) é uma ferramenta de gestão que auxilia a empresa a escolher os identificadores que devem ser prioridade para acompanhamento contínuo e que servem para que os gestores vejam como os processos internos estão desempenhando.

Entre os tipos
de indicadores que podem ser utilizados pelas empresas estão os de produtividade,
qualidade, capacidade e estratégia. Por serem essenciais para mostrar a
influência das ações no negócio, a empresa deve definir seus KPIs de maneira
cuidadosa e estratégica.

O assessor de planejamento e gestão e professor Marcelo Silveira exemplifica algumas características que um bom KPI deve possuir:

  • Refletir os objetivos da organização como um todo
  • Possibilitar à direção tomar decisões de caráter estratégico
  • Ser altamente aderente ao negócio da empresa
  • Ser relevante em todos os níveis da organização
  • Ter como base dados confiáveis e mensuráveis
  • Ser de fácil compreensão
  • Ter um responsável comprometido com o resultado

Já o OKR (Objective and Key Results ou Objetivos e Resultados Chaves) é uma metodologia para ter uma gestão ágil de desempenho. OKRs definem critérios de sucesso mensuráveis para a empresa dentro de um período específico de tempo, ajudando a medir o sucesso da instituição.

Dentro dos OKRs
estão os KPIs que a empresa deseja melhorar, mantendo os valores dos outros
KPIs. Trata-se então de uma ferramenta de comunicação pois a organização e os
times comunicam o que é prioridade e o que deve ser foco naquele período, ou
seja, seus OKRs.

Para definir os
OKRs, Marcelo sugere:

  • Definir, no máximo, cinco objetivos por empresa, executivo, departamento, equipe e colaborador, com, no máximo, quatro resultados-chave com uma meta numérica a ser atingida
  • Todos os objetivos e resultados-chave devem ser atingíveis em curtíssimo prazo (sugere-se três meses), para evitar perda de foco. É possível também trabalhar com objetivos de maior prazo, desde que possam ser quebrados em prazos curtíssimos
  • Para garantir mais engajamento do colaborador, 60% dos objetivos devem ser definidos pelo nível hierárquico mais baixo. Considerando cinco, dois são determinados pelo líder imediato e os três restantes pelo próprio colaborador. Os objetivos da chefia garantem o direcionamento estratégico da empresa e os outros implicam em a sua contribuição direta para o negócio
  • Como qualquer outra meta, os objetivos devem ser desafiadores para motivar o colaborador, mas não devem ser inexequíveis. Se for realmente importante, um objetivo não atingido (ou atingido parcialmente) pode (e deve) ser trabalhado no próximo ciclo (trimestre).

Quais as
diferenças entre KPI e OKR?

Apesar de ambos
terem o fator “chave” em seus nomes, as ferramentas possuem diferenças.

Os OKRs ajudarão
a sua empresa a transformar o desejo em realidade, lhe auxiliando a subir de
patamar. Ou seja, se você tem um sonho grande e inspirador, os OKRs lhe
ajudarão a chegar lá.

Já o KPI possui
como principal objetivo medir o sucesso, a quantidade ou a qualidade de um
processo ou atividade em andamento. Eles medem processos ou atividades já em
vigor.

Quer um
exemplo? Imagine um carro que já possui um GSP interno. Enquanto o Waze (nesse
exemplo, um OKR) te mostrará o melhor caminho que deve tomar para chegar no seu
objetivo, o computador interno (KPI) te diz qual a autonomia e limitações tem
para alcançar.

Apesar de serem
diferentes, quando utilizadas em conjunto, as ferramentas se complementam no fortalecimento
da sua gestão contínua de desempenho.

Gostou das ferramentas? Planeja aplicá-las em sua empresa ou equipe? Não esqueça de deixar um comentário e boa sorte!

FONTES: CoBlue e LinkedIn